5 condições de saúde mental que são diagnosticadas de forma errada

Compartilhe:
Compartilhe esse post:

Muitas pessoas não recebem o tratamento de que precisam porque seu distúrbio passa despercebido. Saiba o que fazer.

Apesar do aumento da conscientização, muitos problemas de saúde mental continuam passando despercebidos.

A conscientização sobre a saúde mental se espalhou significativamente na última década em todo o mundo. Grupos de saúde pública deixaram claro que a saúde mental é tão importante quanto a saúde física, e a sociedade também adotou essa importante mudança.

A maioria da população mundial agora diz que valoriza seu bem-estar emocional tanto quanto o físico 💪

Mas quando se trata de diagnosticar todas as pessoas que precisam — e conectá-las aos cuidados — ainda há um longo caminho a percorrer.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, menos da metade das pessoas que atendem aos critérios diagnósticos para distúrbios psicológicos são identificadas pelos médicos.

O problema com isso é que os recursos não são alocados adequadamente e as condições não são tratadas, muitas vezes criando problemas maiores no futuro.

Algumas condições tendem a ser particularmente subdiagnosticadas (significando que mais pessoas as têm do que obtêm um diagnóstico) ou mal diagnosticadas (significando que dizem que têm outra coisa).

Isso significa que muitas pessoas continuam a lutar por conta própria, em vez de se conectar com o tratamento que precisam e merecem.

Aqui estão cinco a serem observadas:

1. Depressão

A depressão pode ser uma das condições de saúde mental mais comuns, afetando cerca de 264 milhões de pessoas em todo o mundo, mas os especialistas ainda alertam que ela é pouco reconhecida e tratada.

A OMS afirma que até 85% das pessoas em países de renda média e baixa não recebem tratamento para depressão.

Em países de todos os níveis de renda, as pessoas que estão deprimidas muitas vezes não são diagnosticadas corretamente, e outras não são diagnosticadas com frequência e nem prescrevem antidepressivos.

Um desafio é que a depressão pode variar muito de pessoa para pessoa. Pode ser leve, grave ou algo intermediário. Pode ser desencadeada por fontes inesperadas e sorrateiras, de onde você mora ao que você come, então as pessoas nem sempre estão procurando por isso em suas próprias vidas.

Além disso, os sintomas de depressão nem sempre são tristezas óbvias. Por exemplo, a raiva pode ser comum, assim como doenças físicas inexplicáveis, como dores de cabeça ou nas costas.

No grupo de idosos, a depressão se manifesta com déficits de memória e muitos receberão tratamento para demência em vez de depressão.

2. Transtorno bipolar

Por mais de uma década, muitos especialistas em saúde mental alertaram que o transtorno bipolar é subdiagnosticado, mas pesquisas recentes sugerem que a situação pode ser mais complexa.

Alguns estudos sugerem que o transtorno bipolar pode, de fato, ser sobrediagnosticado, enquanto outros simplesmente argumentam que é frequentemente mal diagnosticado.

Até 20% das pessoas com transtorno bipolar podem ser erroneamente diagnosticadas com depressão por seus médicos.

O transtorno bipolar é geralmente caracterizado por mudanças significativas no humor, na energia e nos níveis de atividade das pessoas — todas sérias o suficiente para atrapalhar o funcionamento do dia a dia.

Mas pode ser difícil para indivíduos e médicos identificarem porque se sobrepõe a outros problemas de saúde mental ou é muito semelhante.

Alguns sintomas do transtorno bipolar são semelhantes aos de outras doenças, o que pode tornar difícil para um profissional de saúde fazer o diagnóstico.

Além disso, muitas pessoas podem ter transtorno bipolar junto com outro transtorno mental ou condição, como um transtorno de ansiedade, transtorno de uso de substâncias ou um transtorno alimentar.

3. PTSD

Os especialistas às vezes chamam de transtorno de estresse pós-traumático, ou PTSD, o “diagnóstico perdido”, apesar de ser altamente prevalente.

Os especialistas estimam que cerca de 70% da população mundial passará por um evento traumático durante a vida, e cerca de 20% desenvolverá PTSD, que é uma resposta física e emocional intensa a pensamentos e lembretes de um evento traumático que dura semanas ou meses após.

Uma razão pela qual o PTSD às vezes passa despercebido é porque é fortemente associado a pessoas que servem nas forças armadas, que certamente lutam com frequência contra o distúrbio — mas de forma alguma são as únicas que o fazem.

Na realidade, a condição de saúde mental pode ocorrer após qualquer evento angustiante. Isso inclui desastres naturais, acidentes rodoviários graves, ataques terroristas, agressão sexual e tiroteios em massa.

Também pode afetar pessoas de qualquer idade, desde crianças a adultos.

4. Transtornos alimentares

As pessoas costumam pensar que os transtornos alimentares afetam exclusivamente meninas adolescentes magras. Mas a verdade é que também afeta homens e pessoas mais velhas.

Os transtornos alimentares muitas vezes passam despercebidos devido à falta de consciência dos sintomas e seu início insidioso. Os especialistas estão particularmente à procura de transtornos alimentares entre os jovens após um ano de estresse e isolamento durante a pandemia COVID-19.

5. Transtorno de personalidade limítrofe

O transtorno de personalidade limítrofe é uma condição séria de saúde mental caracterizada por um padrão contínuo de humor, autoimagem e comportamento variados que causa dificuldades significativas no funcionamento do dia-a-dia.

E é outro que passa despercebido com frequência, embora a frequência não seja clara.

Transtorno de Personalidade Limítrofe é uma das condições de saúde mental mais comumente diagnosticadas. É tão mal diagnosticada, na verdade, que não há nem mesmo uma taxa de prevalência precisa para a doença.

Uma razão para isso é que os sintomas dessa doença geralmente se parecem com outra coisa, incluindo depressão, ansiedade ou até mesmo transtorno bipolar.

Outro é o estigma, que é um problema para pessoas com transtorno de personalidade limítrofe e muitos outros tipos de problemas de saúde mental.

Se você está lutando com sua saúde mental, ou acha que pode ter uma dessas condições comumente subdiagnosticadas ou mal diagnosticadas, definitivamente procure um profissional de saúde mental treinado.

Não tenha medo de buscar uma segunda opinião. Às vezes, pode ser necessário um pouco de pesquisa para encontrar o terapeuta certo com experiência no tratamento de sua (s) condição (s) específica (s).

Pedir referências de outros profissionais ou amigos e familiares pode ser um bom ponto de partida!

VEJA TAMBÉM:

Foto: Unsplash

Compartilhe esse post: