Leia isto quando você estiver desapontado com as pessoas ao seu redor | Me Apaixonei

Leia isto quando você estiver desapontado com as pessoas ao seu redor

148
0
Compartilhe:
Compartilhe esse post:

Foto: https://unsplash.com/photos/m_jnf9bI5yM

Então as pessoas ao seu redor te decepcionam.

Lamento que você esteja passando por isso. Existem poucos sentimentos mais frustrantes do que não ter suporte quando você mais precisa.

Do que estender a mão e não ter ninguém para segurá-la. Do que desmoronar lentamente e não ter ninguém por perto para te ajudar a ficar em pé.

Lamento que você esteja se decepcionando porque é um termo genérico para uma série de agonias maiores.

Mas aqui está a verdade sobre o desapontamento que todos detestamos em reconhecer: tem muito pouco a ver com quem nos decepcionou. A decepção é inteiramente uma construção de nossas próprias expectativas. E não importa quantas promessas alguém tenha nos feito, a realidade não tem responsabilidade de cumprir nossas expectativas.

O problema com outras pessoas é que elas nunca vão nos entender tão intricadamente quanto nós mesmos. Ficamos desapontados com as pessoas ao nosso redor, porque usamos nossa própria definição de amor para medir o que elas estão dando. Nos pegamos sofrendo de dor e decepção por causa de um enorme mal-entendido. É um ciclo interminável e desnecessariamente complicado. E precisa ser parado.

Temos que entender que algumas pessoas não são destinadas a conversas complexas ou a contemplar o significado de nossas existências ou a cuidar de todas as nossas feridas.

VEJA TAMBÉM: 11º MANDAMENTO: NÃO STALKEARÁS

Algumas pessoas nunca vão aparecer exatamente quando precisamos delas, nos oferecer as palavras exatas que precisamos ouvir e nos confortar de uma maneira que acalma imediatamente nossas almas.

Mas isso não significa que essas pessoas não sejam boas, gentis e bem-intencionadas. Isso não significa que elas não nos amam. E, o mais importante, isso não significa que elas não tenham nada a oferecer.

Quanto mais nos deixamos decepcionar com as pessoas ao nosso redor, mais nos fechamos para algumas das maiores e mais inesperadas formas de amor. Não temos controle sobre como mais alguém gerencia sua afeição. Nem sequer escolhemos onde eles o alocam. Mas aqui está o que temos controle:

Temos controle sobre nossa reação ao amor. Temos controle sobre se reconhecemos ou não que aquele “oi” que alguém nos deu no trabalho esta manhã foi ou não com amor.

Que a noite em que alguém apareceu e assistiu um filme conosco porque sentiu que estávamos chateados era amor. Que o amigo que não tem ideia de que conselho oferecer ou de que ajuda deve dar, mas que curtiu o nosso status no Facebook está demonstrando amor. Podemos apreciar essas pequenas ações cotidianas ou podemos ficar amargurados por não serem suficientes.

VEJA TAMBÉM: E SE VOCÊ DESLIGAR O CELULAR?

Temos controle sobre se vamos ou não entrar em contato com alguém. Nós escolhemos se vamos ser amargos e isolados ou se vamos nos apossar de qualquer chance que tivermos de conexão.

Nós escolhemos se damos a primeira jogada quando se trata de conexão ou se vamos fazer parte do problema. Se seremos mais uma pessoa que não aparece quando diz que vai ou se aproxima quando outros precisam ou que desejam receber o amor primeiro e devolvê-lo apenas quando tiverem certeza de que não é um risco.

Decidimos que tipo de amor manifestamos por aí, mesmo que não possamos controlar o que receberemos de volta.

Porque no final das contas, essa é a única coisa sobre a qual temos controle — como gerenciamos nosso próprio cuidado e carinho. Se você quiser provar que existe o tipo de amor que deseja, precisará ser a prova. Você terá que dar o tipo de amor que deseja ver no mundo. Você terá que ser a garantia de todo mundo de que existe, de que é tudo abrangente, de que está lá.

Quanto mais depositamos nossas esperanças e expectativas no que os outros têm a oferecer, mais nos frustramos. Mas quanto mais percebemos o que temos controle, mais acabamos nos tornando versões maiores e mais abrangentes de nós mesmos. Versões que nunca decepcionam.

Eu gosto mesmo é de gente esquisita

Compartilhe esse post:
Hospedagem de Sites e Blogs

Deixe seu comentário: