Será que seu parceiro sofre de ansiedade depressiva? Veja como ajuda-lo(a)! | Me Apaixonei

Será que seu parceiro sofre de ansiedade depressiva? Veja como ajuda-lo(a)!

2045
0
Compartilhe:
Compartilhe esse post:

A ansiedade depressiva suscitou grande controvérsia em sua concepção e não foi coletada por todas as classificações de diagnóstico existentes. Não é que a sua existência não é reconhecida, mas às vezes tem sido considerada um transtorno depressivo com características ansiosas secundárias.

Em distúrbios de ansiedade e depressão mista, sintomas de ansiedade e depressão estão presentes, mas nenhum deles predomina claramente ou não é forte o suficiente para justificar um diagnóstico separado.

Esse distúrbio é manifestado por uma mistura de sintomas comparativamente leves que são freqüentemente vistos na atenção primária, e sua prevalência ainda é maior na população em geral.

A combinação de sintomas depressivos e ansiedade causa uma deterioração significativa do funcionamento da pessoa afetada. No entanto, aqueles que se opõem a este diagnóstico argumentaram que a disponibilidade desse diagnóstico desencoraja os clínicos de tomar o tempo necessário para fazer uma história psiquiátrica completa.

Uma história que, por sua vez, permite diferenciar os verdadeiros distúrbios depressivos dos distúrbios de ansiedade.

Quando que é diagnosticado o distúrbio misto de ansiedade depressiva?

O diagnóstico requer a presença de sintomas ansiosos e depressão de baixa intensidade. Além disso, deve haver alguns sintomas vegetativos, como tremores, palpitações, boca seca e desconforto gástrico.

Alguns estudos preliminares indicaram que a sensibilidade do clínico geral ao transtorno de ansiedade mista-depressiva é baixa. No entanto, é possível que essa falta de reconhecimento reflete apenas a falta de um rótulo diagnóstico apropriado para esses pacientes.

Sintomas da ansiedade depressiva

As manifestações clínicas desta doença combinam sintomas de distúrbios de ansiedade e sintomas de distúrbios depressivos. Além disso, os sintomas de hiperatividade do sistema nervoso autônomo, como o desconforto gastrointestinal, são frequentes.

Tratamentos do transtorno da ansiedade depressiva

No entanto, o tratamento de escolha para este tipo de patologias é a psicoterapia cognitivo-comportamental. Por um lado, é uma questão de o paciente entrar em primeira instância para reduzir seu nível de ativação fisiológica. Isto é conseguido através de técnicas de respiração (por exemplo, respiração diafragmática) e técnicas de relaxamento (relaxamento muscular progressivo, treinamento autogênico, atenção plena, etc.).

Em segundo lugar, é necessário que o paciente melhore seu humor. Isso pode ser alcançado de diferentes maneiras. A terapia de ativação comportamental pode ser muito eficaz a esse respeito. É sobre isso que o paciente retorna ao seu nível anterior de atividade. Para isso, é instado a realizar atividades agradáveis, seja recuperando ou participando de uma nova, de forma gradual.

Em terceiro lugar, uma fase de psicoterapia é útil. Nesta fase, o paciente explica o que está acontecendo com ele e por quê. Trata-se de dar algumas noções básicas sobre as características de ansiedade e depressão para o paciente normalizar sua experiência.

Então, pode ser necessário mudar algumas crenças ou pensamentos que possam estar mantendo o problema. Isso pode ser feito usando a técnica de reestruturação cognitiva.

Como vimos, o transtorno misto-depressivo misto não é auto-suficiente em alguns sistemas de diagnóstico, mas é freqüentemente encontrado em consultas de atenção primária e sua prevalência é alta. É uma desordem que tem tratamento e que, se não for tratada a tempo, pode ser cronizada.

Veja também:

9 coisas que você deve se atentar caso namore uma pessoa com ansiedade

 

Compartilhe esse post:
Hospedagem de Sites e Blogs

Deixe seu comentário: