22 simples gestos para ajudar um parceiro que passa por problemas psicológicos | Me Apaixonei

22 simples gestos para ajudar um parceiro que passa por problemas psicológicos

1809
0
Compartilhe:
Compartilhe esse post:

Baseado nas perguntas aos membros do BuzzFeed Community, “quais simples gestos de seus parceiros(as) mais os ajudavam a enfrentar seus problemas de saúde psicológicos”. Aqui está o que eles disseram:

Tenha em mente que, apesar de você poder ajudar bastante seu parceiro(a), saúde psicológica é algo muito complexo. Não hesite em contatar um profissional se isso puder ser útil.

1. Faça com que ele(a) se sinta seguro(a) e ouvido(a).

“Meu parceiro faz um ótimo trabalho ao me lembrar que sou amada e que sou importante. Ele deixa bem claro que posso contar tudo para ele, não importa a dificuldade com que eu esteja lidando. E mesmo que eu não possa falar com ele naquele exato momento, é bem reconfortante saber que poderei contar com ele depois.”

2. Participe de cursos que ajudem você a entender a situação pela qual ele(a) está passando.

“A melhor coisa que meu namorado fez por mim quando fui diagnosticada, foi se inscrever em um curso no trabalho dele sobre transtornos de ansiedade e depressão. Ele começou a perceber que não era possível entender exatamente o que se passava dentro da minha cabeça o tempo todo (até porque nem eu conseguia!) e passou a aceitar que isso era normal”.

3. Ajude-o(a) a fazer as coisas que você sabe que são difíceis para ele(a).

“Em restaurantes, meu namorado sempre faz os pedidos por mim porque ele sabe como isso me deixa ansiosa”.

4. Leve a comida preferida dele(a) quando souber que ele(a) está tendo um dia difícil.

“Quando meu namorado percebe que estou meio tristinha, ele se senta do meu lado, me abraça e então sussurra: ‘Comprei sorvete pra você’. Não só o sorvete sempre ajuda, mas o fato de que eu nem preciso dizer nada para ele se esforçar em me animar me faz sorrir instantaneamente.”

5. Lembre-o(a) de tomar seus remédios e de marcar suas consultas.

“Minha namorada é extremamente prestativa e compreensiva, o que é tudo o que eu poderia querer. Ela se lembra das coisas simples que eu esqueço, me lembra de tomar meus remédios e de marcar minhas consultas com a psicóloga. Ela me faz sentir seguro quando estou ansioso. Ter uma namorada amorosa nunca irá me curar, mas, com ela, me sinto à vontade com minha ansiedade”.

6. Deixe recados de voz carinhosos para que ele(a) possa ouvir quando estiver estressado(a).

“Minha namorada costuma deixar uma mensagem para mim quando estou no trabalho, dizendo que ela me ama ou que ela espera que eu tenha tido um bom dia. O trabalho me estressa, mas essas mensagenzinhas me deixam bem mais relaxado e calmo quando as leio à noite”.

7. Ajude com as tarefas domésticas quando ele(a) estiver se sentindo sobrecarregado(a).

“Tenho um emprego absurdamente estressante e exigente que requer que eu trabalhe 10 horas por dia e fique no trânsito por duas horas. Como meu namorado vive comigo e tem mais tempo livre, ele acorda cedo para me ajudar a preparar minha marmita, sempre limpa a sujeira do nosso gatinho e leva o lixo para fora. Ele sabe que o meu tempo é limitado, então ele sempre tenta facilitar minha vida em casa. Definitivamente respiro mais aliviada sabendo que posso contar com ele.”

8. Ajude-o(a) a se sentir bonito(a) quando ele(a) não estiver conseguindo.

Você é bonita?
A) Sim
B) A
C) D
D) B”

“Tenho lúpus sistêmico, que se manifestou nos meus rins. Meu tratamento incluiu quimioterapia, que me fez ganhar quase 15 quilos em retenção de líquido em uns 15 dias. Fiquei com estrias horríveis na minha barriga e nas minhas costas. Ver meu corpo passar por uma mudança tão drástica, ter que lidar com o ganho de peso e depois tentar perder tudo de novo pesou demais na minha saúde mental.

E, em todo esse tempo, meu namorado nunca deixou de fazer com que eu me sentisse bonita. Ele me apoiou tanto. Ele me comprava todo óleo, creme e loção que ele achasse que fosse ajudar com as minhas estrias e me deu bastante reforço positivo quando eu estava passando por um momento realmente difícil na minha vida”.

9. Deixe-o(a) desabafar quando precisar e ouça mesmo, de verdade.

“Quando estou realmente estressada ou chorando, meu namorado me deixa desabafar e chorar e me abraça até eu estar pronta para conversar. E às vezes ele me leva para comer comida chinesa, apesar de ele detestar.”

10. Comemore todas as suas pequenas vitórias com ele(a) e diga como você sente orgulho dele(a).

“Meu parceiro não entende nada de depressão ou ansiedade (e não tem problema, gostaria que mais pessoas percebessem isso). Mas ele se esforça ao máximo para me ouvir, me motivar, me ajudar e me amar. Ele entende que eu não preciso que me digam o que eu posso/deveria fazer para me ‘consertar’. Ele comemora todas as minhas vitórias, desde tomar meus remédios até me alimentar sozinha em público.”

11. Dê um abraço bem apertado quando as palavras não forem suficientes.

“A melhor coisa é um abraço. E eu quero dizer um abraço bem apertado mesmo. Ainda é uma das melhores coisas que o meu namorado faz para me ajudar com meus ataques de pânico e ansiedade generalizada.”

12. Segure a mão dele(a) e tente mantê-lo(a) calmo(a) durante um ataque de ansiedade.

13. Cante para ele(a) e tente acalmá-lo(a) até que o sofrimento comece a diminuir.

“Tenho problemas bem complicados de disforia de gênero e ansiedade. Quando estou em uma situação muito estressante, minha namorada me enrola em um cobertor, me faz sentir seguro e aquecido, me abraça e canta para mim até passar. A voz dela me acalma como nada mais me acalma.”

14. Tente fazê-lo(a) rir.

“Meu namorado me ajuda a me distrair dos meus pensamentos negativos. Quando estou tendo um ataque de ansiedade, ele fala com sotaques engraçados para me fazer rir. Quando estou sendo dramática, ele me pede para planejar as férias dos sonhos. Quando estou deprimida, ele me manda fotos de cachorrinhos fofos”.

15. Diga que não tem problema dizer “não” de vez em quando.

“Não, obrigada, por favor.”

“Eu tinha me tornado a faz-tudo no meu departamento porque eu era super ansiosa para agradar e dizia sim a quase tudo. Um dia depois do trabalho, eu contei para meu parceiro que um colega tinha me pedido para fazer outra tarefa, e eu estava me sentindo sobrecarregada. Ele respondeu: ‘Então diga não, se você não quer fazer isso e está te estressando. É problema e responsabilidade deles, não sua’. Ninguém nunca tinha me dito que era OK dizer não para alguma coisa. Foi o momento mais esclarecedor da minha vida pessoal e profissional.”

16. Ajude-o(a) a arejar a cabeça e traga-o(a) de volta ao momento presente.

“Se eu tive um dia ansioso, minha parceira me leva para sair e me incentiva a respirar fundo e a assistir ao pôr do sol. Ter alguém que te ajude a voltar ao momento presente é ótimo!”.

17. Faça-o(a) se sentir especial mostrando que você se lembra das pequenas coisas.

“Tenho fibromialgia e às vezes a dor torna praticamente impossível fazer qualquer coisa além de ir ao trabalho. Em um dia ruim desses de dor, meu namorado veio me ver depois do trabalho, trazendo comida e um cobertor de pelúcia com ele. Ele fez hambúrgueres na chapa, cuidou dos meus cachorros e garantiu que eu não precisasse me levantar durante toda a noite. Ele até trouxe minhas batatinhas fritas preferidas!”

18. Leve-o(a) para um lugar calmo e seguro e tranquilize-o(a) dizendo que tudo ficará bem quando ele(a) tiver um ataque de pânico.

“Meu parceiro sempre me leva para algum canto tranquilo quando estou tendo um ataque de pânico. Ele se senta e faz massagem nas minhas costas até eu me sentir um pouco melhor e começa a citar todas as coisas que ele ama em mim”.

19. Descubra maneiras de apoiar sua recuperação de todo jeito possível.

“Tenho lutado contra a anorexia e a bulimia pela maior parte da minha vida. Quando meu então noivo, agora marido, descobriu o quanto eu estava sofrendo na época, ele encheu a nossa cozinha com fotos de tudo o que me faz feliz, especificamente nossos filhos e familiares.

Ele também riscou com uma canetinha as tabelas nutricionais de cada item alimentício que nós tínhamos. Fui para uma clínica de tratamento logo depois disso, e ter esses lembretes de como a minha recuperação era importante para o meu marido foi a motivação que eu precisava para continuar bem depois de voltar para casa.”

20. Não foque em resolver seus problemas — apenas ajude-o(a) a se sentir melhor.

“Em vez de me dizer como solucionar meu problema, meu parceiro me pergunta o que ele pode fazer para me ajudar a me sentir melhor”.

21. Lembre-o(a) do quão maravilhoso(a) e capaz ele(a) é.

“Tenho ansiedade e depressão. Eu entro em pânico constantemente com medo de ser uma esposa péssima e achando que um dia meu marido vai encontrar alguém melhor e me deixar. Sempre que isso acontece, ele me olha nos olhos, me abraça e me lembra do quanto ele me ama e de que eu sou uma boa esposa”.

22. E, acima de tudo, certifique-se de que ele(a) saiba que é amado(a).

“Você NÃO está sozinho”

“Tenho lidado com ansiedade e depressão desde que me conheço por gente, incluindo pensamentos suicidas. Todos esses sentimentos negativos me levaram a usar a automutilação e o álcool como uma fuga. Em vez de ficar assustada, furiosa ou tentar me fazer sentir culpada para fazer com que eu pare, meu namorado ficou ao meu lado e me amou mesmo assim.

Ele me mostrou por meio das ações dele que eu era digna de ser amada, até mesmo nos meus piores momentos. Fui de alguém que via a si mesma como um caso perdido a alguém que se respeita o bastante para procurar ajuda. Hoje em dia, sempre que tenho um dia ruim, converso abertamente com ele, ele ouve e me diz o quanto me ama.”

VEJA TAMBÉM:

Por que os estágios iniciais do namoro são mais difíceis para pessoas que sofrem de ansiedade?

Este post foi traduzido do inglês, do site BuzzFeed.com

Compartilhe esse post:
Hospedagem de Sites e Blogs

Deixe seu comentário: