2020 não foi tão ruim assim

1500
0
Compartilhe:
Compartilhe esse post:

https://unsplash.com/photos/pvLHMZtLgI0

Enfim, chegamos: No final de 2020.

O final de um ano que pensamos que nunca iria chegar.

No entanto, como em qualquer final de ano, a gente para e reflete sobre tudo o que passou e há muito o que aprender sobre este ano. Então, enquanto todos nós reunimos nossos pensamentos, deixe-me te contar uma história.

Esta é a história de 2020 — acredite em mim, nem tudo é uma tragédia.

Terminamos 2019 com nossa lista de promessas de fazer mais no novo ano.

Dissemos que cuidaríamos mais de nossa saúde.

Dissemos que nos livraríamos das pessoas tóxicas de nossas vidas.

Fizemos até promessa de que entraríamos na academia.

E então, quando a queima de fogos se iniciou naquela meia-noite, não tínhamos ideia de quanto nossas vidas iria mudar ou do que aconteceria nos próximos meses no mundo todo. 2020 ergueu-se do solo como um girassol que nunca para de crescer, mas que sempre continua murchando.

O mundo foi infectado por uma doença bem maior do que qualquer coisa que poderíamos esperar. Vidas foram perdidas e, por um instante, a esperança foi jogada pela janela.

O mundo foi atingido tantas vezes que a gente nem sabia como iria levantar depois da rasteira que a gente levou.

Foi nesse ponto que todas as almas do planeta compreenderam a preciosa existência da vida. Foi precisamente no momento em que nossos temores sobre a morte aumentaram que percebemos o que significava estar VIVO.

A gente aprendeu que estar vivo era mais do que apenas existir.

À medida que as bases da sociedade se tornaram mais frágeis e, como resultado, mais abertas à especulação, começamos a perceber o impacto que temos no mundo.

A sociedade (ou pelo menos a maioria) não teve escolha a não ser enfrentar os fatos. Nosso modo de vida já foi afetado de forma incomensurável, e então a questão passou a ser: se não podemos voltar ao normal, como podemos ser ainda mais fortes?

E aqui está uma das maiores histórias para lembrar em 2020.

Isso é mais do que a-doença-que-não-será-nomeada.

VEJA TAMBÉM:

É sobre nossa posição política, social e pessoal.

Todos que lerem este artigo e todos que refletirem sobre este ano têm escolhas a fazer. Essa escolhas trazem complicações, é claro, mas existem.

O final deste ano não deve ser mais sobre as mesmas velhas escolhas que fazemos por necessidade.

O final deste ano é para fazer um balanço do que temos, de quem temos e do que podemos fazer.

Cada mudança será difícil, então lembre-se disso ao entrar nesta nova transição e ao se tornar quem você deveria ser. Mas o que você precisa fazer agora é aprender com 2020.

Não planeje incessantemente ou tente prever onde você estará daqui a 5 anos.

Espere um pouco. Pise no freio. Viva o momento.

Encontre uma maneira de ouvir o mundo e o que seu corpo e sua mente estão lhe dizendo.

Talvez seria uma boa ideia mudar para outro país, mesmo que isso te traga um pouco de incerteza.

Apoie mais as outras pessoas e olhe para as necessidades dos que estão à sua volta.

VEJA TAMBÉM:

Faça mais pesquisas para entender melhor como você pode ajudar o mundo, mesmo que isso signifique questionar suas próprias vontades.

Faça novos amigos quando precisar de alguém com quem conversar, mesmo que isso te assuste no começo.

Se reaproxime de Deus, mesmo se você se sentir um pouco envergonhado no início.

Por muito tempo, esperamos muito para fazermos uma mudança.

Temos ficado calados sobre coisas que nos incomodam.

Deixamos outros serem feridos porque não queremos sair de nossa zona de conforto.

Dissemos a nós mesmos que merecemos algo, mas nunca encontramos uma maneira de obtê-lo.

2020 nos ensinou que tudo é passageiro, que as pessoas são frágeis e que, no fundo, a vida é uma coleção de momentos.

VEJA TAMBÉM:

E se a vida é uma coleção de momentos, então como nos sentimos a cada momento e o que fazemos com esse sentimento é tudo o que importa.

Ao terminarmos nossa história aqui e você continuar seus dias, deixe-me te lembrar de que o que você fez ontem não importa mais, mas o que você faz agora, sim.

Eu gostaria de terminar esse artigo te fazendo a seguinte pergunta: o que seu coração está lhe dizendo para fazer?

Compartilhe esse post: