Não me venha com essa de altruísmo. Eu canso. De pessoas e suas atitudes! | Me Apaixonei

Não me venha com essa de altruísmo. Eu canso. De pessoas e suas atitudes!

887
0
Compartilhe:
Compartilhe esse post:

Não me venha com essa de altruísmo. A gente tem mesmo que fazer o bem sem olhar a quem e sem esperar nada em troca. Sim! Mas me diz se você não tem necessidade de abraços? Se não espera, calado, lá no fundo, que aquelas pessoas com quem tanto se importa, a quem tanto ama, por quem tanto se dedica e abdica não te amem da mesma forma? Ou que pelo menos te amem?

Não espero um “muito obrigado por isso, por aquilo”. Não! O que faço, faço quando posso e como posso, da melhor maneira possível. Porque acho que devo. E pronto! 

Mas eu quero amor, sim. Quero colo. Quero ouvidos atentos as minhas dores, sejam elas as mais ridículas para quem vê ou ouve. São minhas dores. E isso, por si só, já não deveria ser o suficiente? Quero cuidado. Sopa quente quando estiver resfriada. Quero um teto para abrigar meu coração quando o meu, só, não bastar. Quero reciprocidade, não de gentilezas, mas de amor, de carinho, de cuidado, de coisas que não estão ao alcance do dinheiro, não importa quão rica materialmente a pessoa seja.

Desculpe-me se eu canso. Desculpe-me se espero sentimento em troca do meu sentimento. Se em algum lugar do meu coração ainda habita uma menina que embora tenha vivido um bocado até aqui, crê em certas possibilidades da inocência infantil.

A gente cansa, sim. Não de fazer o bem. Mas de ver a água correr e nunca encher os rios da insatisfação de outras pessoas. De ceder o coração, os ouvidos e a própria vida toda vez que que isso se faz necessário e mesmo quando não, mas encontrar um grande nada quando chega nossa vez. Cansa de precisar aprender a sobreviver sozinho. Parece que estamos todos sozinhos num grande aprendizado da vida. Mas não quero que se cansem de mim. Não quero ser responsável por esse tipo de dor no coração de ninguém. 

Se eu não posso amar, eu te digo: não posso. Se não posso ficar, te digo: não posso. 

Se vai doer essa verdade, prefiro que doa agora do que alimentar a ilusão de algo que eu não posso ser. Mas se eu amo, se eu fico, 110% de mim está aqui. E acredite, eu nunca deixarei de ser o melhor que eu possa ser. Só não posso ficar na vida de quem me vê como uma espécie de disque-emergência. Na vida de quem quando está na primavera, não parece perceber minha presença.

Então, não me venha com essa de altruísmo. Eu canso. De pessoas e suas atitudes!

Luciana Marques

Compartilhe esse post:
Hospedagem de Sites e Blogs

Deixe seu comentário: