Eu, ele e ela | Me Apaixonei

Eu, ele e ela

448
0
Compartilhe:
Compartilhe esse post:

Noite passada estava no mesmo ambiente, eu, ele e ela. Cheguei a conclusão que definitivamente eu já não tenho estômago para certas coisas, e que eu não soube lidar durante muito tempo com o fato de ter virado coadjuvante em uma história que eu sempre protagonizei.

Só queria que ela soubesse que não a odeio, que não há ressentimentos. Espero sinceramente que eles sejam extremamente felizes, e bem sucedidos nas suas escolhas, mas que façam isso longe de mim, simples assim. Eu não preciso ser a plateia de toda a encenação que eles têm se prestado a fazer.

Houve muita história antes dela entrar nesse novo capítulo da vida dele, e não acho nem um pouco justo, eles continuarem arrancando as páginas que me incluem. Não assim, não dessa forma.

Queria que ela soubesse que a nossa história toda já foi um fiasco, do começo ao fim. A pessoa que ele é com ela? Eu desconheço, juro que nunca nem vi. Tudo numa relação que poderia ter tido de errado, teve. Mentira, traição, chateação, humilhação… eu acho que merecia no mínimo paz depois que tudo isso acabou. Mas adivinha? Não tenho tido.

Por algum motivo — e sabe-se lá Deus qual — eu tenho que não só ver toda essa felicidade do casal, como tenho que conviver com ela. Porque não, nem o meu espaço tem sido respeitado.

Houve um tempo em que eu vinha deixando de sair, para evitar ter que passar por todo esse constrangimento. Houve um tempo em que eu vinha sendo menos eu do que sou, para não incomodá-los, não afetá-los, mas quer saber?! Todas as pessoas envolvidas nessa história precisam aprender o significado da palavra respeito.

Ele, respeito por tudo que já fui para ele, tudo que já fiz, tudo que já fomos.

Ela, respeito por algo que ela sinceramente desconhece, respeito por alguém que nunca a fez mal algum e não merece esse tratamento desnecessário.

Mas principalmente eu, respeito por mim mesma, por entender que não sou obrigada a lidar com certas coisas, e mais ainda, por parar de me importar com pessoas que não me acrescentam em nada e só querem me fazer mal.

A vida fica muito mais leve quando você aprende a lidar com a verdade, e a verdade é que depois de muito tempo, eu percebi que não há mais eu e ele, e que agora a história se resume em ser ele e ela, e nessa história, eu já não protagonizo mais.

A gente aprende a se desapegar, e eu me libertei de todo esse cárcere sentimental que me aprisionava há tanto tempo.

Sem aplausos, sem assobios, sem cortinas se fechando, percebi que era minha hora de descer do palco… e hoje foi o dia que eu saí de cena.

Diandra Ferracini

Compartilhe esse post:
Hospedagem de Sites e Blogs

Deixe seu comentário: