Como partir o coração de um homem | Me Apaixonei

Como partir o coração de um homem

95
0
Compartilhe:
Compartilhe esse post:

Eu achava impossível, até que aconteceu. Eu costumava me cercar de revistas, filmes e livros que me ensinavam que apenas mulheres podiam ficar com o coração partido.

Havia uma narrativa à qual me acostumei, uma que sempre me colocava confortavelmente no papel dos transgredidos, uma que me permitia imaginar que os erros que cometi no relacionamento eram sempre acidentes e nunca por maldade.

Quando eu brincava com minhas bonecas, Barbie sempre se apaixonava desesperadamente por Ken, que muitas vezes esquecia de ajudar nas tarefas domésticas ou voltava para casa tarde depois de uma longa noite com os ursinhos de pelúcia.

As histórias que vi, as princesas perseguindo os distantes príncipes, se desenrolaram ordenadamente no chão do meu quarto. Mesmo que meus pais fossem um exemplo muito feliz e equilibrado, não pude me afastar da ideia de que os homens deveriam agir de certa maneira.

Por muito tempo, eu achava que um homem chorando era uma coisa rara — e até mesmo feia —, certamente nada que eu encontraria na minha vida romântica.

E então um homem chorou bem na minha frente.

Estávamos sentados no meu carro, no estacionamento de um shopping, ao lado de um mirante inexplicável construído pelo cinema. Eu tinha 18 anos, estava terminando com ele por causa de outro cara. Na época, eu quase não pensava nisso simplesmente me apaixonei por outra pessoa e esse era o próximo passo lógico.

VEJA TAMBÉM: A VERDADEIRA RAZÃO PELA QUAL OS TÉRMINOS SÃO TÃO EMOCIONALMENTE DEVASTADORES

O cara que eu estava terminando, na minha mente era uma amálgama encantadora de todo atleta de cinema do ensino médio, alguém que entrava sem esforço em um novo relacionamento e me esquecia tão rapidamente (como eu imaginava que todos os homens fossem).

Não havia nada de delicado ou compassivo no modo como terminei com ele. Eu simplesmente me tornei cada vez mais distante, assumindo que ele faria o trabalho pesado de me deixar, até ficar claro que ele não faria.

Então eu tomei a iniciativa no estacionamento e ele desabou. Eu me senti envergonhada por ele, como se isso fosse algo que eu não deveria estar vendo. A ideia de um homem soluçando tão abertamente por uma garota que estava o deixando não se encaixava em nenhuma das narrativas com as quais eu me acostumei.

Levei muito tempo para perceber que eu tinha sido cruel e que o choro dele era a única resposta que um ser humano poderia ter dado.

VEJA TAMBÉM: O OPOSTO DO AMOR NÃO É O ÓDIO – É O DISCURSO

Enquanto eu caminhava para um novo relacionamento, ele ficou pegando os pedaços do que achava que tínhamos juntos. Evitei seu olhar, a menção de seu nome, a perspectiva de sua presença em uma festa. Inicialmente, eu disse a mim mesma que era porque ele ainda me amava e não queria decepcioná-lo.

Mas quando a névoa hipócrita de uma separação se eleva, sempre sabemos quando estávamos errados. Eu sabia que o havia machucado profundamente — possivelmente corroendo sua capacidade de confiar nas mulheres que ele trouxe para sua vida depois de mim, pelo menos por um tempo.

Apesar de não ser um enredo que nenhuma das minhas amadas heroínas românticas reconheceria, eu parti o coração de um homem e me afastei dele quando ele chorou. Ainda não sei qual é a resposta correta para alguém chorando na sua mão, mas sei que olhar para essa pessoa com repulsa confusa não é a coisa mais certa a se fazer.

Você pode partir o coração de um homem de várias maneiras. Isso acontece todos os dias, em graus variados, e sempre há uma chance de fazer isso de novo.

Mas destruímos os homens de uma maneira muito específica, negando a ideia de que eles têm um coração em primeiro lugar. Silenciosamente, valorizamos as restrições sociais incapacitantes em que eles são submetidos, as que lhes dizem que sentir algo é perigoso e prejudicial à sua masculinidade.

Às vezes, penso em todos os homens que fingiram não se importar porque se preocupavam com algo errado, quando eram apenas humanos. Eu gostaria de poder dizer a todos, um por um, que eles não têm nada para se envergonhar.

VEJA TAMBÉM:

Amar é aceitar um pacote completo de qualidades, defeitos, dúvidas e incertezas

Compartilhe esse post:
Hospedagem de Sites e Blogs

Deixe seu comentário: