5 sinais de que você e seu parceiro são incompatíveis (e nunca irão dar certo) | Me Apaixonei

5 sinais de que você e seu parceiro são incompatíveis (e nunca irão dar certo)

299
0
Compartilhe:
Compartilhe esse post:

Relacionamentos são difíceis e chegar à conclusão de que você e seu parceiro podem ser incompatíveis é ainda mais difícil.

A equipe do Blog Me Apaixonei criou uma peça que descreve os sinais de que duas pessoas podem não ser destinadas uma à outra.

É hora de seguir em frente?

A pessoa que você está é certa para você ou é hora de seguir em frente? Não há uma resposta padrão para esse tipo de pergunta, até porque cada pessoa vive um relacionamento de diferentes maneiras. Mas abaixo estão alguns indicadores de que talvez seja hora de cada um tomar seu rumo.

Antes de continuar lendo, você precisará se afastar de seu relacionamento por um momento e olhar para ele da perspectiva de um estranho (eu vou adotar a perspectiva de uma mulher pensando em um relacionamento com um homem, mas o conselho deve ser aplicado em todos os aspectos).

Aqui estão 5 sinais de que você e seu parceiro são incompatíveis:

1- Vocês têm valores e objetivos diferentes.

Os valores pessoais são não-negociáveis, como o desejo de ter filhos, casar-se ou mudar-se para a Islândia, por exemplo. Se você e seu parceiro são muitos diferentes no quesito valores pessoais, esse é um sinal que deve ser levado em conta.

Isso por si só deve ser motivo de preocupação, independentemente de quão bem você atualmente se dá com ele(a) ou não.

Se você estiver disposto(a) a negociar seus valores e objetivos pessoais, eles não são de fato (ou não são mais) valores e objetivos fundamentais.

Com certeza, é possível que você mude seus valores e objetivos, mas mudanças desse tipo não devem ser o resultado da pressão ou sugestões de um parceiro. Eles devem ser o resultado do crescimento pessoal.

2- Seu parceiro tem você por garantido(a).

Você assiste aos filmes que ele(a) escolhe, você vai sempre aos restaurantes que ele(a) sugere, você sempre está disposto(a) a fazer as vontades dele(a) e as suas nem sempre são satisfeitas. Ele(a) simplesmente considera esse seu comportamento submisso como certo.

Esse tipo de comportamento só gera frustração no relacionamento e é um sinal bem claro da incompatibilidade entre vocês.

3- Seu parceiro não te respeita.

A falta de respeito pode aparecer de muitas formas diferentes. Elas podem aparecer em forma de abuso verbal ou emocional, ou comportamento passivo-agressivo.

Todos os três últimos estilos mencionados de comportamento abusivo podem ser tão sutis que é até difícil perceber.

Ele(a) pode estar bem ciente do fato de que não consegue fazer sua parte nas tarefas domésticas e ainda não fazer para mudar esse cenário (passivo-agressivo) ou ele(a) pode tentar criar distância entre vocês dois, fazendo planos para o fim de semana com os(as) amigos(as) sem ao menos te consultar antes.

Às vezes, esses estilos de comportamento abusivo não são tão sutis assim. Ele(a) pode estar chamando você de nomes depreciativos como “burro(a), vagabundo(a), preguiçoso(a), você não presta…” e nunca se desculpar.

Esse é um sinal mais do que claro de que o que você está vivendo é um relacionamento abusivo e você não é nada compatível com seu parceiro. Pule fora desse barco enquanto há tempo!

4- Seu parceiro não se importa com suas necessidades emocionais ou físicas

Tudo que você faz, você faz porque se encaixa em seu caminho ou no seu dia a dia. Ele(a) espera que você faça sempre o que ele quer. Ele(a) toma, toma e toma e raramente dá. Ele(a) espera que você faça tudo por ele(a) e por isso não tem que fazer um esforço para manter um relacionamento saudável com você.

Este é mais um dos sinais que você e seu parceiro são incompatíveis.

5- Seu parceiro não se preocupa em cuidar de você

Pode ter demorado um pouco para perceber, mas, eventualmente, isso te atinge. E MUITO!

Você sempre se preocupa com ele(a), como ele(a) está se sentindo, o que ele(a) está fazendo, quais são seus planos, em que estado de ânimo ele(a) está. Já ele(a) raramente se importa da mesma maneira com relação a você. É raro ele(a) fazer uma única pergunta sobre o seu bem-estar.

Bem, não o(a) culpe. Você é sua nova mãe disfarçada – ou talvez sua segunda mãe (se ele(a) ainda estiver em boas relações com sua mãe de verdade). Mães (e pais) são normalmente cuidadores, e as crianças são os receptores desse cuidado.

Na verdade, as crianças definitivamente não devem ser cuidadoras. Eles não devem ser responsáveis ​​por seus irmãos ou pais ou pelo estado geral da casa. Isso não quer dizer que os adolescentes não possam assistir a sua irmã mais nova por algumas horas quando atingirem a idade certa, mas apenas que não devam ser considerados como companheiros da mãe; por exemplo, um adolescente não deve ser tratado como o novo sistema de apoio (ou pior: marido) de sua mãe recém-divorciada.

Esse post te ajudou? Compartilhe com seus amigos e deixe seu comentário abaixo! 🙂

Veja também:

Baixa autoestima está quase sempre ligada a Relacionamentos Abusivos!

Compartilhe esse post:
Hospedagem de Sites e Blogs

Deixe seu comentário: