O amor verdadeiro é tão simples que a gente desconfia | Me Apaixonei

O amor verdadeiro é tão simples que a gente desconfia

3329
0
Compartilhe:
Compartilhe esse post:

o-amor-verdadeiro-e-tao-simples-que-a-gente-desconfia

Amor é simples. Nós temos a mania de dar rótulo a tudo que sentimos, mas nem sempre aquilo que chamamos de amor precisa ter legenda. Quando é amor a gente sabe bem.

Às vezes os relacionamentos empacam exatamente porque existe um excesso de cobrança. Não que não devamos deixar bem claro de como gostaríamos de ser amados, mas falo daquela cobranças que invadem e deixam o outro desconfortável. É amor quando sabemos que apesar de cada um ter o seu caminho um dia as duas vidas se cruzaram a resolveram andar juntos.

O que eu quero dizer é quando o amor combina não precisa ficar a base de empurrões, os dois aprendem realmente como é a melhor maneira de lidar com o outro e aprende a amá-lo da maneira que precisa. Os jogos não são mais necessários, a procrastinação em assumir-se um do outro desaparece e o medo do que pode acontecer a partir dessa união simplesmente parece não se importar.

Quando a coisa está andando bem, naturalmente, descobrimos um novo universo que precisamos desvendar juntos. Algo começa a crescer dentro da gente que parece que não fazia sentido nenhum existir antes do outro. Nos descobrimos como seres que precisam conhecer mais o universo do outro e descobrir um cantinho para a gente armar a tenda e morar para sempre.

Quando a coisa caminha para a felicidade é quando não temos mais grandes cerimônias para demonstrar que amamos e queremos sonhar com o outro. Só podemos imaginar o futuro juntos. É nesse roteiro que fazemos para nós que incluímos a vontade de se doar inteiramente ao outro, mesmo nos momentos mais complicados das nossas muitas fases e também no êxtase do ponto mais alto da nossa alegria.

Aparece voluntariamente o desejo de não chatear, o impulso em abraçar em meio ao choro e o pedido de perdão nos desentendimentos. Vamos colecionando um monte de meios de exercitar vários jogos de cintura a fim de aprender a se importar menos com o que não é fundamental.

Ser simples é uma qualidade do amor

As conversas ficam cada vez mais francas e não conseguimos mais esconder, omitir ou ter sua própria opinião sem pelo menos perguntar. A conversa fica mais direta, há mais esclarecimento, disposição para explicações e entendimentos. Afinal, conversar se torna uma oportunidade para também olhar para o outro e saber o que ele pensa e incluí-lo em nossas vidas.

É aprender a identificar quando alguma coisa está errada, mesmo que não esteja escrito na testa. É sentir o que achamos que nunca poderíamos sentir. Nada na nossa vida terá o mesmo valor. Nada será igual antes.

Claro que para construir relacionamento existem um passo de disponibilidade, um esforço quase diário de se compreender como parte da felicidade do outro. Algumas vezes somos parte da tristeza do outro, é verdade, mas depois que olhamos para o que conseguimos juntos, o sorriso aparece como se fosse a novidade nunca vista.

É tão simples que a gente duvida, desconfia que aquilo possa ser real, e até suspeita do nosso merecimento diante de tudo, mas mesmo sem saber explicar, a gente continua vivendo essa coisa toda da maneira mais simples possível. Não sei explicar, mas essa coisa de amar vale a pena sim.

Fonte: casaldoblog.com.br

Compartilhe esse post:
Hospedagem de Sites e Blogs

Deixe seu comentário: