É preciso comer algumas mortadelas para saber saborear a picanha | Me Apaixonei

É preciso comer algumas mortadelas para saber saborear a picanha

1743
0
Compartilhe:
Compartilhe esse post:

Hoje eu acordei me sentindo leve, com vontade de valorizar meu sorriso ao invés de lutar tanto para ver o sorriso de alguém. Acordei disposta a mudar tudo aquilo que via me afligindo, tudo aquilo que vinha fazendo a minha vida não andar para frente e percebi que a maior mudança, para fazer com que as coisas melhorassem e desestagnassem, era, justamente, fazer com que ele não fizesse mais parte dela.

Sabe quando você ouve uma musica e não pensa em ninguém quando a ouve? Quando você vai a um lugar que já esteve antes, mas não fica se remoendo com nostalgias e lembranças de lá?

Quando você pega seu celular e não tem vontade nenhuma de mandar mensagem para ninguém, simplesmente porque você está ocupada demais vivendo a vida real e não quer perder tempo com conversinha fiada?

Quando você sai sem rumo, sem destino e não precisa se preocupar com hora para voltar?

Sabe quando a liberdade de ser e estar toma tanta conta de tudo que você é, que você simplesmente já não se importa mais em agradar ninguém além de si mesma?

Sabe quando seu coração está tão em paz que ele bate tranquilamente o tempo todo, sem acelerar por nada, nem ninguém, simplesmente porque a plenitude ocupou todo seu ser?

Sabe quando você não precisa evitar ir a determinados lugares, porque teme encontrar alguém lá? Que já não importa mais se ele vai estar, ou não, em um lugar, simplesmente porque a presença dele já nem faz tanta diferença assim na sua vida?

Sabe quando você aprende que de nada adianta você ser uma picanha acebolada com fritas, sendo que a fome da pessoa é de pão com mortadela? Que você aceita que pessoas erradas irão sair da sua vida, para que as coisas certas aconteçam nela, e que tudo bem passar pelas más experiências, porque sabe que elas farão você saber valorizar ainda mais as boas experiências?

Sabe quando aprende que para ser completa basta ser você mesma, e que não precisa de ninguém além de si mesma para se sentir bem, para ser feliz?

É assim que tenho me sentido, ultimamente, e meu Deus, como desejo que todas as pessoas se sintam assim um dia. Sintam-se gratas pela família que tem, pelos amigos que tem, pelas oportunidades, experiências, histórias…sintam-se gratas por ser quem é e por estar onde estão.

Não tem sentimento melhor do que acordar com um sorriso estampado no rosto, e nada do que você faz, o faz sair de lá. Aprender que para ser feliz basta eu me fazer feliz, e que não preciso mudar quem sou, por nada, nem ninguém, porque sei que vai chegar um dia que o meu errado, vai ser o certo de alguém, e tudo terá valido a pena.

Eu não sei exatamente quando isso vai acontecer, mas enquanto esse dia não chega, eu vou vivendo, vou aprendendo, e vou crescendo. Não mais me contentando com migalhas, mas aceitando que terei que comer alguns pães com mortadela, para conseguir ter o rodízio de picanha completo que sempre sonhei.

Diandra Ferracini

Compartilhe esse post:
Hospedagem de Sites e Blogs

Deixe seu comentário: