As regras do amor | Me Apaixonei

As regras do amor

1717
0
Compartilhe:

A gente nasce e morre só uma vez. Entre o início e o fim vivemos muitas experiências repetidas vezes, mas o amor… o amor só vem uma vez. Pode ser que você se apaixone milhões de vezes. Pode ser que conheça metade dos sete bilhões de pessoas desse mundo, pode ser inclusive que você beije todas essas pessoas. Talvez você se embole no meio de tudo isso, talvez você se apaixone por mais de uma pessoa ao mesmo tempo. Possivelmente você vai juntando pedacinhos e características de diversas pessoas e vá montando a sua pessoa ideal. Você vai ler artigos dizendo que o amor é uma plantinha que deve ser regada todos os dias para crescer, vai ler com afinco e seguir passo a passo as “dez dicas de como ser a pessoa ideal” e de como reconhecer quando a outra pessoa também te quer.

Vai achar que o tempo vai fortalecer o relacionamento, vai acreditar quando te disserem que você deve namorar, noivar e depois casar. Que existe uma ordem natural das coisas, e apressar tudo é um erro. Vão te aconselhar a aproveitar a vida antes de ter filhos, mas também não se pode esperar tanto. Vão dizer que um é pouco e dois é o ideal.  Três é loucura. E a diferença de idade deve ser de poucos anos. Se for um casal, melhor ainda.

Tudo que você fizer diferente, será visto de forma torta, negativa. Você não pode sair por aí beijando todas as bocas do mundo, caso contrário ninguém vai te respeitar. Mas também não vá se casar com o primeiro idiota que aparecer na sua frente, afinal como vai saber se é a pessoa certa se não conheceu mais ninguém? Não se case cedo, você precisa aproveitar a vida! Aí vai acabar se arrependendo e traindo a pessoa. Não espere muito para casar. A idade chega, e é preciso ter filhos antes de 35 anos. E vê se não fique sendo seletiva demais, pois quem muito escolhe acaba sendo escolhido.

Todos nós em algum momento da vida vamos nos dar conta de que todos os conselhos, listas, dicas e lições são inúteis. Esse momento será o exato segundo em que você vai enxergar uma outra realidade, será o momento onde as cortinas cairão de seus olhos, e a verdade estará na sua frente. Enfim, você irá perceber que o amor não tem regra alguma, e muitas vezes vai contra tudo que te disseram. Mas todos os pontos de interrogação que pairavam acima da sua cabeça, todas aquelas dúvidas sussurrando em seus ouvidos e ecoando no fundo da sua mente se transformarão em uma única certeza: “Encontrei a pessoa certa.”

Não existe uma idade certa para isso, tampouco é necessário ter experiência prévia. Pode ser que você o conheça aos quinze, ou somente no fim da vida. E sei lá, talvez você nunca tenha a sorte de cruzar com essa pessoa, mas você vai achar que encontrou por mais de uma vez, ah vai…

Em algum momento da vida você vai achar que precisa se diminuir para caber no espaço pequeno do outro. Vai achar que viver de migalhas é aceitável, afinal você não estava com muita fome mesmo. Muitas vezes vai duvidar de tudo, chorar no travesseiro até adormecer fazendo planos para conquistar aquela pessoa que não te viu. “E se meu cabelo fosse mais comprido? Mais liso? Mais encaracolado? E se eu tivesse outras roupas? Outros gostos?” Você vai se espremer, se oprimir, vai fingir, vai rir do que não acha graça, vai fingir que não viu, vai tentar ser mais, se expandir para cercar a pessoa e ser notada.

Tantas outras vezes você vai se forçar a sair com aquele carinha que é muito gente boa e muito bonzinho. Duas horas depois vai estar pensando no boleto que tem para pagar na segunda, enquanto dá um gole no chopp que já esquentou. Mas suas amigas vão dizer que ele é muito legal, o que mais você quer? Ele tem um sorriso perfeito, abre a porta do carro e está obviamente apaixonado por você. Você vai se sentir culpada por não retribuir tanta atenção, vai repetir pra si mesma que o tempo vai criar sentimentos que não estão ali.
Nada disso vai adiantar. Nada! Porque a sua pessoa certa não vai te deixar em segundo plano. Não vai dizer que não está pronto para um relacionamento, que está confuso. A sua pessoa certa não vai estar cansada nem vai precisar de um tempo pois acabou de sair de um relacionamento. Porque o tempo ideal é uma falácia. Porque o momento certo não existe, o que existe é a pessoa certa. A pessoa certa também não vai precisar ficar correndo atrás de você, demonstrando de todas as formas possíveis e aparecendo na sua casa às duas da manhã com flores e chocolate.

Quando isso acontece com a pessoa certa é lindo, mas quando não é, seu estômago irá embrulhar, você vai ficar com medo de tanta atenção. Depois vai ficar de saco cheio, com sono, com tédio, com ódio…

Um dia estava eu vivendo minha vida muito feliz e contente. Sem pensar em nada disso. A vida seguia leve como uma tarde quente na praia, sem relógio para marcar o tempo, sem hora certa para nada. Me sentia completa e a solidão era uma ótima companheira. O silêncio, as pernas esticadas no sofá, a garrafa de vinho inteira para mim. Assim como o controle remoto.
Quando cruzei com a minha pessoa certa, já sabia que algo havia mudado. Foi no primeiro olhar, no primeiro sorriso. Meus olhos de repente se acenderam para um mundo desconhecido. Quando o amor chegou, ele simplesmente caiu na minha cabeça, me soterrou. Fiquei presa nos escombros, imóvel, petrificada. Senti muito medo, me senti pequena, inútil, impotente. Desde quando um sentimento vai tomar conta de mim? Vai mandar em mim? Não houve escolha. Estava lá, se impondo, invadindo, arrebentando todos os muros que construí cuidadosamente ao longo dos anos. Entrou pelo meus olhos, minha boca e meus ouvidos…inundou minha cabeça e
tomou conta de tudo que havia em mim.
O amor me olhou com deboche, desdenhou de toda história da minha vida, transformou tudo que havia sido, em uma história boba, infantil. Rasgou todas as minhas listas, me arrastou para algo que eu nem queria viver.
Mas o amor tem dessas, você vai tentar fugir. Você vai tentar correr. Vai atrás das suas amigas que vão dizer que você está doida, que não é racional. Você também sabe disso, mas não dá para evitar, apenas não dá. É como um vírus que você pega no ar, e quando se dá conta já está em estado crítico. É incurável, e vai doer também. Vai doer porque você se dará conta de que não é tão livre assim. Vai perceber que algumas coisas na vida são inevitáveis e que o controle é uma ilusão.

Quando o amor te domina dessa forma, a única coisa que você pode fazer é se deixar levar. Aproveitar e aceitar. Essa será a única vez. Você provavelmente não vai ter uma data para comemorar, porque não sabe dizer exatamente quando começou. Não tem um começo, ele esteve todo tempo lá e você só teve a sorte de reconhecer.
E não terá fim.

Mesmo que você não termine seus dias com a pessoa. Porque depois que ela atravessar seu caminho, você irá carregá-la dentro de si. Em todos os seus detalhes. Seus olhos e seu sorriso. Não tema as pessoas do passado, pois quando o amor chegar, você irá se esvaziar de tudo para se encher desse amor, e de forma definitiva.

Esqueça tudo que te disseram, o amor não tem bula, nem manual de instruções. Um dia você dorme cheia de dúvidas e no outro dia acorda com uma grande certeza. Pode ser que aconteça depois do primeiro olhar, e pode ser que seja depois de anos de amizade. Mas a certeza estará lá, provando que existe alguém no mundo que vai realizar seus
sonhos sem você precisar dizer quais são. Que aquele sorriso meio torto é o mais lindo do mundo. Que você tem o tamanho exato para caber no coração dessa pessoa, sem esforço algum.

Você é um barquinho de papel na correnteza. Pode tentar remar, mas se eu fosse você, apenas me deixaria levar, porque tudo que você fizer não irá mudar o destino. Faça tudo ou não faça nada. É inevitável. Assim como nascer. Assim como morrer.

“Row, row, row your boat. Gently Down the stream. Merrily, merrily, merrily, merrily… Life is but a dream”

Enviado por Thais Moreno

Você escreve? Envie seu texto clicando aqui

Hospedagem de Sites e Blogs

Deixe seu comentário: