Vamos por etapas | Me Apaixonei

Vamos por etapas

1338
0
Compartilhe:
Compartilhe esse post:

Num piscar de olhos fui parar no seu sofá. Logo eu que andava tão fechada a esse tipo de aventuras.

Seguia minha rotina quando distraída recebo sua mensagem. De momento não distinguia quem era e do que se tratava, era um absoluto estranho – e não deixou e talvez nunca deixara de ser – sigo minha rotina normalmente.

Sua conversa insistente, mas não abusiva foi aos poucos quebrando o gelo que existia.

Conversas aleatórias e sem qualquer inicio, meio ou fim. Assuntos que iniciavam sem assunto, conversas que começavam sem nem terminar a anterior. Meios que trocávamos sem nem nos perceber e fins sem despedidas. Fui descobrindo aos poucos o ponto final das nossas conversas.

Segredos e mistérios que não pretendo desvendar e nem quero, pois, o encanto disso tudo é essa incerteza, esse mistério, esse segredo.

Tão encantador ao ponto de seduzir uma mosca pousada no seu ombro. Seu toque leve e sua fala mansa envolvente derrubava todas as barreiras da minha razão.

Foi estranho te encontrar e não sentir um friozinho na barriga, um medo, um arrependimento – “o que eu estou aqui a fazer?” – e ao mesmo tempo – “Estás tramada?”. Nunca tinha passado por tal situação, acredite. “Não, você não acredita em mim, esqueci desse detalhe.” Loucura minha tentar explicar algo para alguém que conheci ontem.

E aqui estou no seu sofá, totalmente rendida e instável, algo muito paradoxo, pulamos todas as etapas e nem se quer sabíamos quais eram. Vivemos o hoje, amanhã não sabemos, aproveitamos, curtimos e é claro que tudo isso terminou como nossas mensagens sem fim, sem despedidas. Naturalmente. Pode até parecer estranho mais é isso que me encanta, essa incógnita, essas lacunas que deixas a tudo.

Ficaras sempre na minha história, sou do tipo de mulher sensível que coleciono momentos bons dentro de uma caixa, as vezes reciclo, as vezes vou lá relembrar, outros jogo fora porque já não são assim tão boas. Fins que não acabam, sem despedidas, sem finais. Foi apenas um lapso de algo que aconteceu e “ponto final.”

Carla Martins (Nina)

Compartilhe esse post:
Hospedagem de Sites e Blogs

Deixe seu comentário: