Um texto sobre os amores da minha vida | Me Apaixonei

Um texto sobre os amores da minha vida

1736
0
Compartilhe:
Compartilhe esse post:

Fonte da Imagem: WeHeartIt

Amores da minha vida. Sim. Foram vários. Pode ser que isso cause um impacto para você que está do outro lado, afinal de contas, a maioria de nós, somos criados com o seguinte mandamento: “Amor de verdade é um só na vida”. Mas cada um deixou um ensinamento, então eles vão sempre fazer parte da minha vida.

Não tive criação de pai e mãe juntos, casados, morando na mesma casa, em plena harmonia, que nem de uma marca de margarinas, ou como está na moda agora, de presuntos, que se vissem contratariam para o próximo comercial. Meus pais são separados desde antes do meu nascimento e nem por isso minha mãe se impediu ou a impedi de encontrar outro amor. Vi minha mãe tendo relacionamentos diversos, com caras mega diferentes. E ela me ensinou, sem querer, o quanto vale a pena encontrar novos amores, nessas esquinas da vida.

Todos os amores da minha vida, eu amei de verdade. Nenhum foi de mentira. Se eles fingiram que me amavam, aí já é problema deles e não meu. Foi tão gradativo os meus amores. Veio o primeiro amor, aí quando vi já veio o segundo, o terceiro… Quando acordei, me vi ali, montando um quebra cabeça com tudo que passei. Aprendi, na prática, que não ia ser no primeiro amor que aprenderia o que é amar, mas aprendi o que é eterno. Eterno é tudo aquilo que se vive com plena intensidade e se leva pra vida.

Com os amores da minha vida, aprendi a me transformar, a consertar erros e me moldar. Se me comparar ao que eu era quando conheci meu primeiro amor e agora, encontrariam duas pessoas totalmente distintas. Com eles, aprendi que é tão incrível você se entregar ao outro de forma tão intensa, carregar um pedacinho do outro em você e deixar sua marca na vida dela. E, acima de tudo, seguir em frente a cada término, afinal de contas, ninguém pertence a ninguém. Ninguém é de ninguém. Com o tempo que tive com cada um, vi que “eu te amo eternamente”, “eu te amo para sempre”, “nunca amarei alguém como amo você” não fazem tanto sentido assim. Tive feridas que jamais cicatrizarão porque essas cicatrizes que me transformam dia após dia. E acredito, que infelizmente ou felizmente, deixei cicatrizes neles também. 

De alguns me arrependo, não devia ter me apaixonado como me apaixonei, devia ter sido mais cautelosa. Mas aceito que quando tomei certas decisões eram decisões que eu queria tomar no momento e pronto. Caí de cabeça em muita piscina vazia que eu pensei que era profunda. Quebrei a cara, cabeça e coração. Juntei tudo e já não repeti os mesmos erros. Sempre fui mais coração que razão. Opa, ainda sou. Isso os amores da minha vida me ensinaram. Que por mais errado que pareça, vá com o coração. Se der errado, fica como aprendizado. Se der certo, fica como uma boa lembrança.

Paguei para ver. Amei. Amei muito. E vou amar mais ainda. Virão outros amores da minha vida, sim. Eu tenho certeza. Até que um fique, me ensine dia após dia, eu ensine dia após dia. Afinal, relacionamento é isso. Aprendizado. E dure até quando ficar gagá. Tive amores que pensei que seriam eternos e duraram apenas dois dias. Tive amores que pensei que seriam uma tremenda de uma roubada, e foram os que mais duraram. Tive amores que nunca me pertenceram, mas o meu amor pertenceu ao outro. Tem amores épicos que por mais que tenham tido mais lembranças ruins que boas, os guardo dentro do coração e com um lembrete: Não repita. E principalmente, aprendi com os amores da minha vida que ser trouxa é amar só uma vez nessa vida.

Compartilhe esse post:
Hospedagem de Sites e Blogs

Deixe seu comentário: