Você nunca foi embora…

  Me pego acordando, em plena madrugada depois de um cochilo, em cima de agenda, notebook, café e coca-cola — esse drink já não me deixa desperta mais — e olho para minha cama tão macia e quentinha. Podia estar lá entre minhas cobertas e meus travesseiros, mas o dever me chama. O dever que tanto tem me cansado. Não que eu não goste do que eu faço, pelo contrário, eu amo. E é tão difícil a gente conseguir fazer o que a gente gosta em tempos de crise né? Mas tenho me cansado porque me enfiei de cabeça nele nos últimos … Continue lendo Você nunca foi embora…