Quando o amor vira verbo

Nós somos completos, somos dois inteiros, não dependemos um do outro, não somos subordinados. Mesmo assim, escolhemos estar juntos, escolhemos caminhar de mãos dadas; não somos duas metades que se completam, somos inteiros e perfeitos na nossa imperfeição. Eu quero ser o sujeito da sua oração. Quero escrever capítulos inteiros sobre nós dois. Você leu meus pensamentos e eu entendi suas intenções nas entrelinhas do seu sorriso. Hoje formamos frases completas sobre uma história cheia de reticências. Eu não te amo entre vírgulas, mas entre exclamações. Você não me enche de interrogações. Pelo contrário, me faz perceber todos os dias … Continue lendo Quando o amor vira verbo