Pela minha lei, só seriam permitidos finais felizes

Ao mesmo tempo em que o encontro entre duas pessoas é doce, singelo e cria um laço que, até então, parece eterno, o adeus é quase sempre em meio a palavras mais feias, mais frias, mais duras e desagradáveis demais para um coração que já cultivou pelo outro algum tipo de sentimento. A chegada é quase sempre feliz. O adeus, só a Deus pertence. Chega a ser engraçado o fato de passar tantas horas nos dia de alguém, dividir momentos, confissões, trocar conselhos, planos e depois ser obrigado a rasgar as fotografias imaginárias de momentos que não haviam sequer acontecido. … Continue lendo Pela minha lei, só seriam permitidos finais felizes