Vontades. | Me Apaixonei

Vontades.

956
0
Compartilhe:

Vontade de te escrever sobre mim. Contar todos os meus desejos, te mostrar como foram forjadas todas as pecinhas que compõem o que eu sou. Dizer tudo o que faltou dizer por falta de tempo ou de coragem. Falar sobre os meus medos e sobre a minha coragem com vocação para fênix.

Vontade de te falar dos passos que eu não dei e das muitas pegadas que deixaram em mim até aqui. Contar sobre o desejo de tardes ensolaradas sobre a grama e sob as árvores, ou na faixa de areia entre o mar e todo o continente de problemas às minhas costas.

Desejo de te descrever a mágica dos momentos nos quais perdi a razão. Contar as razões que me levaram a esses momentos. Dividir com você a beleza e a intensidade de sair de si.

Vontade de te escrever sobre os dias que se vão e não voltam. Sobre tempo. Sobre o quanto ele nos tira. Sobre a maneira singular que tenho de sentir o tempo passar.

Vontade de te falar sobre os meus textos, filmes, livros e as sensações que me causam, meu vinho favorito, Jazz, Bossa Nova e MPB.

Desejo de te contar de onde vêm os meus sorrisos e onde eles por diversas vezes já se esconderam do mundo. Desejo de te contar os motivos da minha paixão por abraços apertados e intermináveis. Contar a você quantas moedinhas já joguei na fonte dos meus desejos, quais são eles e falar das pequenas coisas capazes de saciar sua grande maioria.

Vontade de te contar sobre quando eu escrevia bem. Contar da minha vontade de aprender a dançar de olhos fechados. Fazer você saber da menina que andava de bicicleta de braços abertos e olhando para o céu, sem medos.

Queria te contar dos cheiros que despertam o que há de melhor nas minhas lembranças. Falar a você dos arrepios que vêm da alma, frutos do instinto. Falar sobre lágrimas, sobre silêncios, sobre abandono, sobre sonhos, sobre sentir-se vulnerável e sobre inocência. Sobre o amor que carrego em mim, tão forte e genuíno quanto a atração dos rios pelo mar.

Queria que meu papel e caneta sussurrassem para você palavras sobre ternura.

Vontade de te escrever sobre você. Sobre todas as coisas que ainda não tive habilidade suficiente pra te contar e talvez nunca tenha.

Vontade de te escrever sobre o efeito dos seus olhos sobre os meus. Sobre o estrago que eles fazem em todas as minhas defesas, sobre a paz e inquietude que me trazem.

Vontade de te escrever sobre coisas suas que nem mesmo você sabe: suas expressões, seu cheiro, seu jeito, seu cansaço, sua graça, suas defesas, e, mais uma vez, sobre mim.

Emi Cavalcante

Deixe seu comentário: