Garotas não são hidras | Me Apaixonei

Garotas não são hidras

488
0
Compartilhe:
Chega a ser cômico de tão previsível. No máximo em vinte e cinco minutos, aquela discussão amigável sobre relacionamentos chegará ao clichê mais idiota que me recordo de um dia já ter dito: “Mulheres são bichos de sete cabeças”.

Não foram poucas as vezes que ouvi dos meninos, e das próprias meninas, o quanto mulheres são complicadas e incompreensíveis. Parece existir um consenso absurdo sobre o tema. No último encontro de bar, antes que eu pudesse argumentar, disseram-me: “Véi, aceita que dói menos”.

Não aceito! Recuso-me. Apesar da complexa relação entre emoções exacerbadas e hormônios alteradores de comportamento, acredito firmemente que senhoras, moças e mocinhas são tão simples quanto 1+1=2. Entendê-las é desafiante, mas passa longe de ser impossível.
Demorei toda a minha juventude pra abrir a mente e, de fato, querer fazer amigas. Agora, passados quatro anos, percebo o colossal erro que cometi. Amigas são companheiras leais, incansáveis defensoras da sua honra e conselheiras implacáveis. A despeito do que diz a esmagadora maior parte da galera, quanto mais as conheço, mais as entendo e amo.

Abra os olhos, parceiro! Esqueça as besteiras que ouvimos a vida toda. Garotas não são hidras. Ao cortar a cabeça da primeira incompreensão, garanto que ela não voltará e, muito menos, multiplicará. O primeiro passo para fazer amigas é acreditar que você será capaz de entendê-las e, assim, satisfazê-las.

No pouco tempo que tive para conhecer as pessoinhas que hoje são minhas companhias, fui forçado a reinventar minha percepção sobre o mundo. Aprendi a olhar e enxergar. Sabe aquela sutil mudança no corte de cabelo? Aquela cor de esmalte nunca antes utilizada? Aquela sutil alteração no tom de voz do “bom dia!”? Aprendi a reparar. Aprenda você também.

Lembro-me de que, depois de ter absorvido a técnica de enxergar, tive que pedir ajuda para saber fazer bom uso das minhas observações. Não basta apenas notar, cara. Achou bonito? Fala. Achou estranho? Fala. Não achou nada? Fica em silêncio pra não dizer besteira.  Provavelmente, mais importante que o conteúdo do seu comentário, é o fato de você ter notado alteração.

Quebradas as barreiras inicias, agora discutamos um pouco as quatro principais coisas que lhe serão cobradas por todo o amor que receberá: companheirismo, carinho, respeito e liberdade.

Bora combar? Companheirismo e carinho ficam juntos. Se você acha que amizade é para os bons momentos, de alegria e diversão, está correto. No entanto, se acha que é só para momentos como esses, está tão enganado que dá dó. Esteja disponível pro que der e vier, e não esqueça: palavras gentis, abraços e cafunés nunca serão supérfluos.

Respeito e liberdade também caminham de mãos dadas. Durante o famoso TPM (Tempo pra mulher), permita que suas amigas fiquem bravas ou chorosas, quietas ou agitadas, falantes ou mudas. Dê a elas liberdade. Garanta-lhes respeito, e não só o seu, mas o de todos. Na verdade, faça disso um mantra. Todo dia, durante as vinte e quatro horas, mantenha o respeito e zele pela liberdade.

Estão dadas as minhas dicas. Da próxima vez que eu o ouvir dizer que garotas são bichos de sete cabeças, apenas duas interpretações me restarão: burrice ou covardia.
Samuel Aguiar

Deixe seu comentário: