7 erros frequentes que muitos casais cometem mas não percebem | Me Apaixonei

7 erros frequentes que muitos casais cometem mas não percebem

2632
0
Compartilhe:

 

Os relacionamentos são agradáveis, mas às vezes complicados.  Aprender a construir um vínculo saudável, que nos faz felizes e acima de tudo crescer, apoiado por uma base de segurança e confiança, é um desafio. Uma das razões que impede isso é a aparência de certos erros frequentes em nosso relacionamento.

Lidar com as dificuldades e complicações da vida cotidiana exige paciência e compreensão junto com a predisposição para querer resolvê-las. Para isso, é importante aprender a identificar quais desses erros estão ocorrendo e fornecer uma solução.

É inevitável que os relacionamentos passem por momentos difíceis, mas superá-los (quando se quer é possível) contribui para o crescimento! Aqui estão 7 desses erros frequentes no relacionamento que devemos nos atentar:

1. Perder a individualidade

O grande paradoxo do amor é que as duas pessoas envolvidas em um relacionamento tendem a se tornar uma, embora elas permaneçam duas.

Em um relacionamento, é normal a necessidade de encontrar uma identidade compartilhada para tornar a ligação mais forte e afastar-se de conflitos e contradições. Na verdade, isso é positivo porque, de fato, interesses, gostos e visões em comum contribuem para a união do casal.

Só que infelizmente, para alcançar esse objetivo, algumas vezes caminhos equivocados são tomados. Um deles é sacrificar a identidade individual para agradar a outra pessoa. Ou por medo de perder o parceiro ou por causa da busca da harmonia, a verdade é que isso não é saudável porque ambos os parceiros irão se machucar.

O relacionamento mais forte é aquele em que cada um permanece sendo ele mesmo. Caso contrário, o que é formado é uma simbiose, que por sua vez incuba desconfortos profundos.

2. Ocultar as fraquezas

Não há possibilidade de que o relacionamento cresça, se não for baseado em sinceridade. Às vezes, pensamos equivocadamente que o outro só poderá nos amar se ele ver que somos perfeitos. Mas não é verdade.

O amor autêntico nasce quando nos mostramos como somos. De que outra forma ele(a) pode nos conhecer? Se ocultar sob outra identidade ou traços trará complicações e frustrações à longo prazo.

Além disso, o que esconde essa atitude é uma profunda falta de auto-amor.

3. Ficar preso na rotina

Outro erro frequente nos relacionamentos é permitir que a rotina comece a se estabelecer. Isso acontece facilmente sem que a gente perceba. As coisas começam a funcionar por inércia, transformando o que queriam fazer e desejavam no que são ou estão acostumados a fazer. 

Para evitar a rotina, nada melhor do que tentar levar uma vida individual completa e, em seguida, contribuir com o nosso pouco para o relacionamento. Para isso, é importante procurar formas de introduzir coisas novas, deixar a zona de conforto sempre que possível. Não é difícil. Só é necessário um pouco de boa vontade.

4. Desconectar-se espiritualmente um do outro

O espiritual tem a ver com o sentido de transcendência que é dado à vida e a todos os seus componentes. Quando o casal está nos estágios iniciais de se apaixonar, o próprio amor parece pintar tudo de algo que vai “além” do comum, uma conexão não só afetiva, mas também espiritual.

Os planos se juntam e cada um deles tem um significado profundo por direito próprio. Nesse caso, o casal não é apenas unido pela atração mútua, pelo desejo e pelo amor, mas também por um ou vários propósitos de transcendência conjunta. Mas ao longo do tempo, isso está se perdendo.

Esse é precisamente um dos erros freqüentes nos relacionamentos que leva ao desapontamento e ao tédio. Para combatê-lo, não há nada melhor do que renovar objetivos comuns de nível superior, de tempos em tempos.

5. Querer mudar o outro

Esta é uma das atitudes que aparece nas fases mais avançadas de um relacionamento. Um problema que tem muito mais a ver com a não conformidade com si mesmo do que com uma rejeição real do outro. Quem está satisfeito com sua vida e é emocionalmente responsável pelo que acontece consigo mesmo, não tenta mudar o outro.

6- Desenvolver comportamentos manipuladores

Embora de um jeito ou de outro uma pessoa “possua” a outra, às vezes perdemos a noção de que isso tem limites muito precisos.  Embora a exclusividade seja uma aliança implícita e explícita na maioria dos casais, isso não implica que um dos dois tenha o direito de manipular a vida do outro.

Muitos erros são feitos atravessando a linha que separa um sentimento saudável de exclusividade, com uma posse egoísta. É aí que os comportamentos manipulares aparecer, um erro muito frequente nos relacionamentos abusivos.

7. Ocultar segredos importantes

Cada membro do casal tem assuntos particulares, para mais confiança e intimidade entre os dois. Isso é saudável.  Isso revela que a individualidade foi preservada. No entanto, existem problemas que devem ser resolvidos e não escondidos. Se isso estiver acontecendo, é provável que haja algo mais grave em segundo plano, como uma tentativa de manipulação ou uma quebra de confiança.

É normal sempre lidarmos com uma ou outra dificuldade. A verdade é que esses obstáculos nem sempre indicam que algo está errado. Na maioria dos casos, é uma questão de pequenos ajustes que devemos fazer.

O importante é que quando esses erros freqüentes forem detectados no relacionamento, ambos os membros sejam capazes de identificá-los e tenham a predisposição suficiente para refletir sobre como resolvê-los.

Veja também:

7 pilares para se construir um amor à prova de tudo!

Deixe seu comentário: